YOGA E MEDITAÇÃO EM CAMPINAS

13 de nov de 2013

Desenvolvendo sua prática pessoal de Asthanga Vinyasa Yoga

Por Vanessa Malagó

Escrevi recentemente dois artigos que tratam sobre a importância de se ter uma prática pessoal de yoga e como começar a desenvolvê-la. Hoje abordarei novamente esse tema, mas sobre a perspectiva de um praticante de ashtanga vinyasa yoga. Sugiro que antes ou depois da leitura desse artigo, você dê uma olhada nesses dois outros textos, que são complementares ao que abordaremos agora: 
A importância de ter uma prática pessoal de yoga
Como desenvolver sua prática pessoal de yoga
A grande dúvida que os praticantes se deparam quando decidem iniciar uma prática em casa é como construir uma sequência equilibrada de posturas. No caso do ashtanga vinyasa yoga, trabalhamos com séries fixas de posturas, o que pode facilitar a vida de quem quer começar sua prática pessoal em casa.

As aulas no estilo Mysore, como o método é ensinado tradicionalmente, em que cada aluno vai construindo a sequência em seu próprio ritmo, oferece também ao praticante uma maior autonomia em relação às aulas guiadas.  Esse é um aspecto importante dessa metodologia,  que permite ao praticante vivenciar a prática de uma forma bastante pessoal e única. Diferente de um aluno que é conduzido a cada aula, aqui o aluno é quem assume a condução e o ritmo, o que o coloca numa postura mais ativa e responsável diante de sua própria prática.

5 de nov de 2013

Os Olhos e a Visão: Autocura e Prevenção

Por Miriam Barros e Vanessa Malagó


A visão é de longe o órgão dos sentidos que mais usamos para captar as mensagens do nosso redor, sendo que cerca de 80% dos estímulos que chegam ao cérebro vêm dos olhos. Nossos olhos estão entre as partes do corpo que trabalham mais longamente. Mesmo quando decidimos descansar, na maior parte das vezes os olhos não descansam, pois frequentemente escolhemos ver um filme, ler um livro ou jogar um jogo no computador. Nestas atividades, os olhos tendem a se cansar ainda mais, pois olhamos fixamente para a TV, o livro ou a tela do computador. 
 Além disso, usamos a visão muito mais para ver objetos próximos do que objetos distantes.Quando nos estressamos, geramos tensão em certos músculos do corpo. Isso também é válido para os olhos, pois tanto o formato do globo ocular quanto a focalização da imagem dependem de músculos existentes nos olhos, conforme mostra a figura abaixo. Os estresses mentais e emocionais geram tensões nos músculos dos olhos que ficam então encurtados e produzem deformações no globo ocular e no cristalino.